jusbrasil.com.br
20 de Setembro de 2021

Fabio Wajngarten: Demonstração de qual realmente é a finalidade da arma de fogo fora do senso comum

Publicado por Perfil Removido
ano passado


Fabio Wajngarten, advogado, empresário do setor de pesquisa e atual secretário-executivo do Ministério das Comunicações sofreu ontem, 06/08/2020, uma tentativa de assalto no bairro Jardins, em São Paulo.

Fingindo estar armado, o assaltante se aproximou após saltar de uma motocicleta e ir na direção de Fabio, onde o abordou e solicitou os pertences.

Fabio, por cumprir os requisitos legais solicitados pela Lei 10.826/03, que dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e afins, percebeu o risco iminente à sua pessoa, sacou sua arma para defesa pessoal, rendendo o marginal e lhe deu voz de prisão em flagrante de delito, conforme estabelece o Artigo 301 do Código de Processo Penal:

Art. 301. Qualquer do povo poderá e as autoridades policiais e seus agentes deverão prender quem quer que seja encontrado em flagrante delito.

Agora pensemos na seguinte situação:

Se o processo para aprovação de posse/porte de armas de fogo fosse menos moroso e incerto, se o referendo de 2005 fosse cumprido, se o cidadão de bem pudesse, assim como deve, ter o direito de se defender, defender seus bens, sua família e outrem que se encontre em perigo atual ou iminente fosse respeitado, quantas situações como essa não seriam diferentes? quantas vidas seriam poupadas? quantos médicos, advogados, comerciantes, vendedores e afins não estariam agora iniciando sua jornada?

Ninguém é obrigado a ter uma arma em casa ou ter seu porte para transitar na rua, mas ninguém também deve ser impedido de ter, se assim for capaz.

E assim como no dito popular

Quando a presa está armada o predador dorme com fome.

5 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Parabéns, excelente! continuar lendo

Obrigado Dr.

Creio que, sempre é importante ressaltar os benefícios e seguridades ao exercício da vida que uma arma de fogo pode trazer em um uso correto. continuar lendo

Concordo, embora haja uma série de equívocos durante essa abordagem.

Principalmente a falta de preocupação com a direção do cano da arma, apontando para o chão, sob o risco de disparo e ricochete nos demais.

Penso que o treinamento devesse ser um pouco mais rigoroso. continuar lendo

Entendo e respeito sua posição, claro.

Mas creio que, até mesmo o treinamento mais árduo de todos não sera perfeitamente executado quando correr a adrenalina pelo corpo. A execução pode melhorar, claro, mas ainda acredito em ressalvas. continuar lendo

Sou instrutor de tiro e posso afirmar que o treinamento bem feito permite o manejo da arma sem esses equívocos, como apontar o cano em direção insegura.

O objetivo do treinamento árduo é justamente minimizar a ação da adrenalina no momento de estresse, que é comum.

É semelhante a dirigir e conversar. O motorista adestrado faz as duas coisas sem errar, porque treinou muito. continuar lendo